Toyota se une à BYD para desenvolver sedãs e SUVs elétricos para a China


A BYD e a Toyota lançaram uma parceria na China para o desenvolvimento de carros elétricos. Depois de Ford e Volkswagen, as duas gigantes se uniram para o desenvolvimento de novos elétricos. A BYD, uma das maiores marcas com portfólio de carros elétricos na China, anunciou uma parceria com a maior montadora do mundo, a Toyota. A assinatura da parceria acontecer no dia 19 de julho desse ano, conforme explicou a nota oficial. Ambas devem desenvolver sedãs e utilitários esportivos elétricos, com o objetivo de lançar os carros no mercado chinês com a marca da Toyota a partir da primeira metade do ano de 2020. A marca japonesa conta com um bom know-how com o desenvolvimento de híbridos e carros movimentos a células de hidrogênio, mas recém começou a desenvolver carros elétricos. Fundada em 1995, a BYD se transformou em uma empresa de soluções de energia limpa, fabricando não apenas carros elétricos, mas outros produtos como células de armazenamento de energia de grande porte e peças centrais para veículos elétricos, como baterias e motores. Em 2008, a BYD se tornou a primeira empresa do mundo a produzir veículos híbrido plug-in em massa e a partir de 2015 ampliou a sua expansão comercial. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Curiosidades: Quantos BTUs possui o ar-condicionado de um carro?

Retrômobilismo #105: Edra Rancho TT, o jipe nacional que chegou quando os importados chamavam atenção!

Volkswagen Neo GTI pode desenvolver entre 306cv a 408cv de potência, segundo site

Tushek apresenta o TS900h H Apex, híbrido que desenvolve 950cv de potência

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 1995!

Curiosidades: Carros de Fórmula 1 tem o sistema ABS?

Mercedes-Benz lança oficialmente o Classe A Sedan no Brasil por R$139.900

Volkswagen deve apresentar Polo reestilizado em 2021, de acordo com sindicato

Peugeot 1008 deve ser apresentado na Europa em 2020, com plataforma CMP