BMW estaria interessada em comprar a fábrica da Honda no Reino Unido, em Swindon


Com as marcas deixando de produzir no Reino Unido, a BMW parece estar indo no caminho contrário. A marca alemã confirmou que tem interesse em comprar a unidade de Swindon, no Reino Unido, da Honda. Atualmente responsável pela produção do Civic Hatch e do TypeR, a fábrica deve deixar de produzir carros a partir de 2021, sendo fechada em 2022. O interesse estaria ligado para a produção do X1 e pela falta de capacidade da fábrica da MINI em Oxford. O sucesso do X1 na Europa fez com que a decisão fosse tomada pela BMW, mesmo que essa não seja a medida que as demais marcas estariam seguindo. Com a produção de carros com a plataforma UKL1 na fábrica, acabaria beneficiando também a MINI. Atualmente a marca recebe os motores vindos de Hams Hall, perto de Birmingham e os painéis da carroceria chegam de uma estamparia localizada próxima de Swindon. Além dessa pulverizada rede de montagem do MINI, a BMW contratou a VDL Nedcar, na Holanda, para atender a demanda pelo MINI, incapaz de ser atendida pela fábrica de Oxford. No ano passado, a BMW vendeu quase 700 mil carros com a plataforma de tração dianteira no mundo todo, plataforma que seria produzida nas fábricas de Oxford e Swindon, abrindo espaço para a produção na Alemanha para carros de tração traseira. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Motores 1.0 e 1.4 EVO da Fiat devem se despedir do mercado a partir do segundo semestre desse ano!

Renault Megane Sedan vem ao Brasil até final de 2019, com motor 1.3 12v TCe Flex de 170cv

Curiosidades: por que o disco de freio parece com ferrugem mesmo sendo novo?

Curiosidades: Carros de Fórmula 1 tem o sistema ABS?

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 1995!

Curiosidades: Os carros mais vendidos do Brasil em 1994!

Curiosidades: Os veículos mais vendidos do Brasil em 1998!

McLaren inaugura concessionária no Brasil e pretende vender 20 unidades no primeiro ano

Foton lança Aumark por R$77.900!

Volkswagen deve apresentar Polo reestilizado em 2021, de acordo com sindicato