Ford confirma fim de linha do Fiesta e o fechamento da fábrica de São Bernardo do Campo (SP)


Depois de alguns boatos, a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) da Ford, deve ser fechada pela matriz. A unidade que produzia caminhões e o Fiesta, deve deixar de produzir e a Ford abandona o mercado de caminhões na América do Sul, além de encerrar a produção do Fiesta ao longo de 2019. Além do hatch, os caminhões Cargo, F-4000 e F-350 deixarão de serem produzidos e só esperam o fim de estoque. “A Ford está comprometida com a América do Sul por meio da construção de um negócio rentável e sustentável, fortalecendo a oferta de produtos, criando experiências positivas para nossos consumidores e atuando com um modelo de negócios mais ágil, compacto e eficiente”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul. Veteranos, a linha de caminhões da Ford já estava bem defasada no mercado, principalmente os membros da Série F. “Sabemos que essa decisão terá um impacto significativo sobre os nossos funcionários de São Bernardo do Campo e, por isso, trabalharemos com todos os nossos parceiros nos próximos passos”, disse Watters. “Atuando em conjunto com concessionários e fornecedores, a Ford manterá o apoio integral aos consumidores no que se refere a garantias, peças e assistência técnica”. Passando por um processo de reestruturação mundial, a marca já tinha confirmado o fim de uma fábrica na América do Sul. Com o fim da unidade em São Bernardo do Campo, a Ford prevê uma economia de US$460 milhões em despesas, sendo US$100 milhões sentidos já nas primeiras semanas. 


Deficitária desde 2012, a Ford América do Sul acionou o sinal de alerta há algum tempo, até o sinal vermelho tocar. Em 2018 a marca fechou com lucro de US$3,7 bilhões, menos da metade que de 2017. Até 2022, US$25,5 bilhões em custos devem ser feitos, com a meta de lucrar cerca de 8%. No ano passado, a região perdeu US$678 milhões e desde 2012 acumula perdas de US$4,2 bilhões. Apesar de ser a quarta potência do mercado, a Ford não consegue lucrar muito, visto que a linha Ka – a mais vendida – é a que menos dá lucro. O EcoSport e a Ranger talvez sejam os carros mais rentáveis da marca e é por isso que Focus, Focus Fastback e Fusion devem ser cortados do mercado, assim como acontece agora com o Fiesta. Em janeiro, o Fiesta Sedan já tinha se despedido do mercado, mostrando que a marca faria uma limpa em seu lineup. A Ford confirmou que não vai da América Latina e nem irá vender sua operação sulamericana. A marca já trabalha numa nova estratégia, que prevê novos carros em nosso mercado como as novas gerações de EcoSport e Ranger, além de um ou dois SUVs médios no nosso mercado, uma picape abaixo da Ranger e provavelmente um retorno do Fiesta europeu com uma plataforma mais simples, algo que segue em estudos para o nosso mercado. Além do Mustang, a Ford também pode importar a F-Series com a versão F-150 e a Raptor, competindo com a RAM. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MSO apresenta McLaren 720S Spider by MSO no Salão do Automóvel de Genebra

Retro e elétrico, Honda apresenta o e-Prototype Concept para o Salão de Genebra

Lamborghini apresenta o Huracán Evo Super Trofeo Collector no Salão de Genebra

Seu novo hatch, Tata apresenta o Altroz e Altroz EV Concept no Salão de Genebra

SUV subcompacto, Tata revela o H2X Concept no Salão do Automóvel de Genebra

Nova picape da Ford, nova Courier, deve ter opção de cabine simples e estendida

Volkswagen deve passar a oferecer o up! em três novas versões na linha 2020

Símbolos de uma nova GM, Chevrolet Cruze e Volt saem de linha nos EUA

No Brasil, Toyota Corolla Hybrid usará o motor 2.0, que oferece mais força que o 1.8

Ford convoca recall de 4.346 unidades de Ka e Ka Sedan com defeito no airbag