Primeiro carro elétrico da Dacia deve ser lançado em 2020, de acordo com executivo


A Dacia confirmou na Europa que também deve adentrar no mundo da eletrificação. E não deve demorar para acontecer. Depois de desenvolver carros de baixo custo para o mercado europeu, a marca romena quer desenvolver elétricos com essa mesma pegada. Um dos principais problemas dos carros elétricos é justamente o preço, principalmente em países onde não se tem benefícios fiscais. Segundo a marca, a eletrificação da sua linha deve começar já em 2020, com o primeiro carro 100% elétrico. A informação foi revelada por Jean-Christophe Kugler, chefe máximo da Renault na Europa. Kugler confirmou que o primeiro carro puramente elétrico da Dacia será uma realidade na próxima década, um veículo acessível, com autonomia inicial em 200km. Por enquanto a Dacia ainda não confirma, mas esse primeiro carro elétrico pode ter alguma relação com o popular elétrico que a Renault desenvolve para a China, que nada mais é que o nosso Renault Kwid com motor elétrico, antecipado pelo conceito K-ZE Concept. Porém, estima-se que a Dacia tire proveito desse projeto para lançar esse novo modelo, oferecendo tecnologia necessária para o lançamento desse primeiro elétrico puro da marca. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Subaru se despede do WRX STi na Espanha com série especial Final Edition

CAOA fecha acordo com Ford para a fábrica de São Bernardo do Campo (SP)

Nova geração do Hyundai HB20 pode substituir 1.6 16v e 1.0 Turbo pelo 1.0 12v TGDI

McLaren inaugura concessionária no Brasil e pretende vender 20 unidades no primeiro ano

Mercedes-Benz revela eSprinter em testes de durabilidade de componentes na Suécia

Renault vende todo primeiro lote do Zoe e já confirma encomenda de segundo lote

Volkswagen estuda desenvolver um Golf R Plus com 400cv na oitava geração

Volkswagen confirma que Tarek terá início da produção atrasada, na Argentina

Subaru convoca recall de Legacy GT e Outback no Brasil com defeito no airbag

Ford Territory deve ser lançado no Brasil, por pressão dos concessionários